Japão precisa quadruplicar número de trabalhadores estrangeiros

O número seria 300% a mais do que o atual 1,72 milhão de trabalhadores estrangeiros, para atender meta de crescimento.

Segundo reportagem publicada no Portal Mie,  para manter o atual crescimento econômico, o Japão precisa cerca de 4 vezes mais trabalhadores estrangeiros até o ano 2040 para atingir o caminho do crescimento que o governo estabeleceu em sua previsão econômica, disse na quinta-feira (3) um grupo de um instituto de pesquisa público sediado em Tóquio.

O Japão enfrenta grave problema de escassez  de trabalhadores em  quase todos os setores da economia. Muitas empresas se apressam para automatizar processos para garantir a continuidade de seus serviços.

Estrangeiros trabalhando no Japão

As descobertas destacam uma crescente dependência do Japão em mão de obra migrante para compensar uma população em encolhimento, enquanto sua habilidade de atrair talentos do exterior vem sendo colocada em questão por controles de fronteira rigorosos devido à covid-19, os quais impedem a entrada de estudantes e trabalhadores.

O Japão deve aumentar o número de trabalhadores estrangeiros para 6,74 milhões até 2040 a fim de sustentar um crescimento médio anual de 1,24% baseado em um cenário otimista de “alta expansão” que o governo estabeleceu em sua projeção de longo termo, disse o grupo em um relatório.

O número seria cerca de 300% a mais do que o atual 1,72 milhão de trabalhadores estrangeiros, os quais formam aproximadamente 2,5% da força de trabalho.

O estudo presumiu que o Japão perderia mais de 10% de sua mão de obra nacional ao longo das próximas duas décadas.

Cerca da metade dos trabalhadores estrangeiros do Japão vem do Vietnã e da China. O grupo de pesquisa espera que o número de imigrantes de locais como Camboja e Myanmar aumente rapidamente nas próximas duas décadas.

Entretanto, o grupo disse que o fornecimento de trabalho migrante cairia constantemente sob o atual sistema de imigração e que o Japão deve considerar mais vistos de longa duração.

Fonte: Portal Mie